Vinhos

Histórias de vinhos e bebidas licorosas. Mitos e verdades desta bebida alcoólica. Rankings e críticas de vinhos.

Votos do utilizador: 0 / 5

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

Em Curaçao é produzida uma bebida que se tornou famosa em praticamente todo o mundo, o Licor Curaçao, com o seu inconfundível sabor de ambersweet orangeslaranja, que além da versão incolor, é comercializado também nas cores azul - o famoso "Curaçao Blue" - verde, amarelo e laranja, todos muito usados na preparação dos mais diversos cocktails. O Curaçao Triple Sec é incolor e um pouco mais seco.

A história deste licor está profundamente ligada à ocupação da ilha por parte dos espanhóis no ano de 1499. Após a ocupação da ilha foram feitas várias tentativas de plantio, principalmente a substituição das laranjeiras por outras trazidas de Espanha, da região de Valência, que produziam uma qualidade de laranjas muito doces e portanto, ao tempo, muito apreciadas. Mas, as condições de solo inculto e árido de Curaçao, produziu uma laranja tão ácida que ninguém conseguia comer.

Ainda hoje, pese embora a realização de vários estudos, não se sabe quem descobriu que a casca desta laranja tão azeda, deixada a secar ao sol, se tornaria o suporte de produção de um óleo perfumado tão agradável, também não se sabe de quem surgiu a ideia de fabricar um licor a partir do óleo. Contudo, a partir do séc. XIX, a família Senior, abriu um negócio para fabricar o Licor Curaçao, feito a partir das cascas das laranjas ácidas de Curaçao.

Votos do utilizador: 0 / 5

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

Descubra a verdade sobre alguns mitos frequentes sobre o vinho.champanhe2

1. Os vinhos brancos obtêm-se de uvas brancas e os tintos de uvas tintas
Falso. Embora os vinhos tintos sejam sempre obtidos a partir da fermentação do sumo de uvas tintas, os brancos podem ser obtidos, além da fermentação do sumo de uvas brancas, também de uvas tintas. Nestes casos, trata-se de uvas tintas a que se retira a película, onde se encontram as matérias corantes. Excetuando a casta Vinhão, de polpa corada, a polpa da uva é sempre branca, independentemente da cor do bago.

2. Champagne e espumante são iguais
Falso. Todo o Champagne é um vinho espumante mas nem todos os espumantes são Champagne. Só pode ser chamado Champagne o vinho espumante produzido na região francesa com o mesmo nome, a partir de três castas: Chardonnay (branca), Pinot noir (tinta) e Pinot meunier (tinta), e elaborado por um processo tecnológico específico, também utilizado em quase todos os produtos nacionais. Conheça os melhores espumantes brutos e meio secos que testámos.

3. Vinhos mais caros são os melhores
Falso. Muitas vezes, o preço final de um vinho não tem relação direta com a qualidade. A fama mantida durante anos ou uma boa campanha de marketing podem aumentar o preço de um vinho. O nosso Guia de Vinhos prova que há um grande número de vinhos de boa qualidade a preços muito competitivos.

Votos do utilizador: 0 / 5

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

A ideia de que o consumo de cerveja faz ganhar peso foi agora desmistificada por cientistas britânicos que, inclusivamente, alegam que a bebida trazsr beber cerveja mais benefício do que desvantagens para a saúde. Afinal, o conceito "barriga de cerveja" pode ser um mito urbano.


O estudo "Beer & Calories: A scientific review" não nega a ideia de que qualquer tipo de bebida alcoólica consumida em excesso conduz ao aumento de peso e a doenças associadas a esse problema, provocadas pelo consumo abusivo de calorias.



No entanto, foi possível verificar que beber cerveja de forma moderada pode contribuir para o enriquecimento nutricional do metabolismo humano e ainda prevenir doenças de coração, osteoporose e diabetes.



Os cientistas revelaram que a cerveja tem um valor calórico mais baixo do que a maioria das bebidas alcoólicas existentes, como é o caso do vinho e das bebidas brancas, ou mesmo em relação a certas variedades de comida, como uma banana, um pacote de batatas fritas ou uma chávena de capuccino.



Para o estudo foram cruzaram dados de 16 investigações diferentes que envolveram 200 mil pessoas. Os resultados mostraram ainda que a cerveja reduz em 31% o risco de ter uma doença cardíaca.

Votos do utilizador: 0 / 5

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

Os benefícios do resveratrol para a saúde foram questionados durante anos. Agora, o seu mecanismo de acção foi desvendado.gp 070700402-W250


Quem diria que quando fazemos um brinde com vinho tinto e entoamos o proverbial "saúde!", estamos mesmo a falar literalmente? No entanto, é isso que mostra um novo estudo, publicado hoje na revista Science por David Sinclair, da Universidade Harvard (EUA), e colegas - entre os quais duas portuguesas.

Em 2006, a equipa de Sinclair publicava os primeiros resultados que sugeriam que o resveratrol, composto presente na casca das uvas, nos amendoins e nos frutos vermelhos, era capaz de prolongar a vida de ratinhos de laboratório. Criou-se então uma empresa, a Sirtris Pharmaceuticals (do grupo GSK), para desenvolver compostos de acção semelhante à do resveratrol.

Segundo Sinclair e colegas, o resveratrol agia estimulando a actividade de uma proteína, chamada SIRT1 (sirtuína 1). Mas a seguir, houve quem argumentasse que o resveratrol só agia em presença de compostos sintéticos específicos utilizados nas experiências - ou seja, em condições artificiais.

Entretanto, ao longo dos anos, foi-se acumulando uma massa de resultados que indicavam fortemente que em muitas espécies animais, incluindo a nossa, a SIRT1 protege, por sua vez, o organismo de doenças ligadas ao envelhecimento como o cancro, a Alzheimer, a diabetes. Os ratinhos que tomam resveratrol são relativamente imunes aos efeitos da obesidade e da velhice - e o composto aumenta a longevidade de leveduras, nemátodos, abelhas, moscas e ratinhos, lembra um comunicado de Harvard.

Votos do utilizador: 0 / 5

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

Doug Frost, Master of Wine e Master Sommelier norte-americano elegeu, segundo desafio lançado pela ViniPortugal, os 50 melhores vinhos para os EUA, resultado da análise de 500 vinhos portugueses.garrafas gelo

Dentro desta selecção, Doug Frost propõe ainda 10 Best of the Best, uma identificação dos melhores entre os melhores dentro do leque degustado, e Top 10 Best Values, uma sugestão dos vinhos que melhor se adaptam ao mercado norte-americano e melhor podem cativar os consumidores, pela excelente relação preço-qualidade.